Conheça as edtechs e seu potencial, entenda como esse setor vem ganhando espaço no mercado

edtechs

Você já ouviu falar em startups provavelmente, mas e edtechs? O termo pode não ser tão comum aos seus ouvidos, embora, provavelmente se você trabalha com educação, já deve ter se deparado com alguma das soluções propostas por esse nicho. Nosso bate papo de hoje vai apresentar o que significa este conceito, o potencial dessa área e os benefícios que este setor pode proporcionar a educação.  

Segundo a Associação Brasileira de Startups, edtechs são startups que usam alguma forma de tecnologia como elemento facilitador de processos de aprendizagem e aprimoramento dos sistemas educacionais.

Esta mesma Associação publicou no ano passado a 3ª edição do Mapeamento de Edtechs documento relevante, que trouxe uma fotografia de como está o cenário das tecnologias educacionais brasileiras.

Os números são animadores, de acordo com este estudo, as edtechs representam hoje o maior segmento entre startups no Brasil, com 17,3%. A maioria das 566 empresas mapeadas estão na região sudeste (58,7%), desse número 37,8% das edtechs estão em São Paulo.

Além desses números positivos, é possível enxergar um futuro público também para as edtechs, já que das startups mapeadas, 12,9% declararam que já venderam/ofereceram suas soluções a órgãos públicos. Outro relatório o EdTechXGlobal mostra que as edtechs têm crescido em nível mundial, 17% ao ano.

E o porquê desse crescimento vai ao encontro de outros bate-papos que já tivemos por aqui. A maneira de ensinar vem mudando, metodologias ativas têm cada vez mais aceitação e resultados positivos em sala de aula, tecnologias são aliadas que não podemos mais deixar de contar, e as edtechs vem justamente ajudar a traduzir este mundo de produtos digitais para adaptá-los à educação da melhor maneira possível.

As edtechs de modo geral investem no desenvolvimento de plataformas online, softwares, ferramentas de gamificação, simuladores de realidade virtual, aplicativos, entre outros, e tudo isso são recursos didáticos que facilitam e aproximam o aluno no processo de aprendizagem. 

5 edtechs de sucesso

Descomplica

Surgiu em 2011 é uma edtech que tem a mecânica de um cursinho pré-vestibular online com conteúdo com foco no Enem. Funciona da seguinte forma, o aluno paga a assinatura e tem acessos a aulas pré-gravadas, ao vivo, monitoria, correção de redações, questionários e simulados. Além disso, a startup também oferece reforço universitário e pós-graduação. No ano de 2017 foi escolhida pelo ranking da revista americana Fast Company como a terceira empresa mais inovadora da América Latina, a primeira do Brasil.

Veduca

Com objetivo de democratizar a educação surgiu em 2012 a edtech Veduca. Os cursos têm valor acessível, a partir e R$29,90 e alguns conteúdos são gratuitos por meio de vídeos no YouTube.

A Veduca atua em parceria com instituições reconhecidas como, empresas e profissionais de mercado.

Quero Educação

Considerada a maior edtech do Brasil, já foi acelerada duas vezes pela Y Combinator, uma das 40 empresas Endeavor Mundo, são certificados pelo Great Place to Work e em 2018 teve o reconhecimento do Fórum Econômico Mundial como uma das 50 startups com mais impacto na América Latina.

A edtech conecta instituições de ensino e alunos por meio de ferramentas como a Quero Pago e Quero Bolsa, um marketplace que ajuda os alunos a encontrar um curso que caiba no bolso.

DreamShaper

Esta edtech criou uma plataforma online de aprendizagem baseada em projetos, que auxilia os alunos a desenvolverem competências socioemocionais e do mercado de trabalho relacionadas com a matéria que aprendem nas salas de aula.

Segundo seu site mais de 500.000 alunos e 1.200 instituições de ensino já foram beneficiadas com a ferramenta, que permite a customização de acordo com o currículo de cada instituição.

4YOU2

Já recebeu prêmios em diversos países, esta edtech brasileira trabalha com a democratização do acesso aos cursos de inglês. Entre sua metodologia há aulas de conversação presencial com professores nativos, pratica de gramática e vocabulário com seu aplicativo próprio.

Com a pandemia ao contrário de vários outros setores, as edtechs conseguiram se adaptar rapidamente as demandas das instituições de ensino aos desafios do isolamento e manutenção das aulas.

De acordo com o Mapeamento de Edtechs, 63,80% das startups deste setor mantiveram ou aumentaram seu faturamento no ano de 2020. Sem contar que 88,8% não precisaram fazer demissões durante esse período crítico e até aumentaram as contratações 40%.

Todos esses números e cases apresentados mostram o quanto as edtechs já estão presentes no dia a dia da educação e que ainda tem um futuro promissor para beneficiar cada vez mais e mais instituições de ensino promovendo inovações na educação.

Você já atuou diretamente com auxílio de alguma edtech? Compartilhe sua opinião sobre este setor nos comentários.

Deixe seu comentário