Acessibilidade em aulas remotas

Acessibilidade em aulas remotas

Muitos foram os desafios da educação desde que o cenário da pandemia se colocou. E sem dúvidas a pauta acessibilidade em aulas remotas foi um deles. Segundo dados da Unesco, cerca de 15% da população mundial tem algum tipo de deficiência.

Aqui no Brasil o censo escolar de 2019, aponta que o número é de 1,2 milhão de alunos na educação especial. Além disso, os dados também mostram que 93% desses alunos estão em classes comuns e que 44% das escolas não possuem nenhum recurso de acessibilidade a crianças com deficiências.

Esses números tão representativos já mostram o quão desafiador é trabalhar com a acessibilidade, e a acessibilidade em aulas remotas virou um desafio a mais. Os desafios vão do ensino básico até o superior.

Por que a acessibilidade é importante?

A acessibilidade é um conjunto de medidas e práticas usadas para tornar os espaços mais inclusivos, que possibilitam a todos o acesso a serviço e lugares. Na área da educação, a acessibilidade está relacionada a formação dos professores, preparação do ambiente físico e agora virtual, para o processo de ensino.

É preciso que essa implementação seja feita cada dia mais, para que as necessidades dos estudantes sejam atendidas de forma permanente. Hoje por meio de recursos tecnológicos é possível promover uma inclusão mais ampla. Temos como exemplo aplicativos de tradução em libras, leitores de tela, entre outros. Tudo isso possibilita a educação inclusiva e promove a acessibilidade.

Medidas práticas para implementar a acessibilidade em aulas remotas

O primeiro ponto é mudar a perspectiva dos educadores e gestores da educação. A deficiência faz parte dos alunos e é preciso que as instituições de ensino tenham cada vez mais clareza sobre isso. Conversar com pessoas deficientes e essencial para criar um processo de ensino efetivo. Pesquise, implemente mudanças de acordo com suas opiniões.

As aulas além de lúdicas devem ter momentos de estímulo aos alunos especiais. Educadores devem usar recursos para romper as barreiras da educação. Buscar plataformas acessíveis, materiais adaptados, audiodescrição, leitores de telas como já falado acima são algumas alternativas. A tecnologia é importante aliada na inclusão e na promoção da acessibilidade em aulas remotas.

Para uma aula ou o curso todo a audiodescrição promove a acessibilidade para pessoas com deficiência relacionadas à audição. Você pode incluir textos alternativos nas imagens que possibilitam a identificação por leitores de tela para pessoas que têm deficiência visual. Outra dica é descrever os professores e os ambientes que eles estão presentes para inclusão nas aulas remotas.

Muitas são as ferramentas disponíveis, mas algumas delas são bastante simples e eficazes é o caso do próprio online voice recorder, onde o professor pode gravar as explicações que serão inseridas nas apresentações das aulas.

Implemente um glossário nos materiais de apoio para garantir assistência em relação aos termos que os estudantes possam não conhecer. Você pode fazer isso por meio de notas de áudio e inserção de imagens.

O editor de vídeos Edpuzzle possibilita aplicar a vídeos próprios ou terceiros uma legenda apropriada. Você consegue cortar trechos e até dublagem quando necessários. A plataforma também disponibiliza a inserção de notas de áudios, imagens e questões que ajudam na interação com os alunos.

Envolva os familiares nesse processo de aprendizagem, de maneira geral isso é muito importante e para os alunos com algum tipo de deficiência não é diferente. Compartilhe com eles quais tem sido os principais desafios, e o que eles acreditam que tem dado resultado positivo na aprendizagem.

Você trabalha com alunos especiais? Durante a pandemia qual foi maior desafio em trabalhar com acessibilidade em aulas remotas? Compartilhe nos comentários a sua experiência.

Deixe seu comentário