As principais competências profissionais que teremos que desenvolver para um futuro próximo

Profissional do futuro

O mundo está passando por muitas mudanças e isso envolve não só fatores externos. Há muito tempo já falamos sobre habilidades que serão necessárias ao profissional do futuro, como será a educação do futuro, e outras previsões, mas a realidade que o futuro de que tanto falamos, já está acontecendo.

Nos textos anteriores falei sobre elementos que já são presentes na educação, antes considerados coisas distantes a nossa realidade, muito próximo ao cenário que víamos em livros e filmes.

O mesmo acontece com o nosso desenvolvimento profissional. Habilidades que antes achávamos ser algo a se pensar para o amanhã, fazem parte do nosso agora e precisamos estar atentos para nos adaptar as mudanças.

O Fórum Econômico Mundial (WEF) divulgou um relatório já conhecido e esperado chamado The Future of Jobs. Nele é mapeado não só os empregos do futuro, mas também as habilidades necessárias a este novo profissional. O relatório indica competências que empresas de 26 economias vão valorizar nos próximos cinco anos.

Além disso, muitas informações importantes foram apresentadas no relatório anual do WEF, entre elas, que a automação vai eliminar 85 milhões de empregos no mundo e que na nova realidade que envolve algoritmos, máquinas, humanos e seus trabalhos também irá criar 97 milhões de novos empregos.

E apesar dos números serem bastante impactantes, eles revelam um cenário que já estamos vivendo. Essa fase de transformação que é conhecida como a quarta revolução industrial, sofreu ainda mais um processo de aceleramento com a questão da covid-19.

A pandemia acelerou os planos de digitalização, 84% dos empresários consultados para o relatório afirmaram que a implementação de novas tecnologias foi antecipada. Com isso, houve uma lacuna no desenvolvimento profissional.

As mudanças preveem a necessidade de requalificação do mercado de trabalho, é estimado que cerca de 50% dos trabalhadores precisarão se reinventar para continuarem ativos. Vale ressaltar que a atuação do WEF tem respaldo de políticas públicas de países considerados como líderes em transformação digital, e que consideram a educação como ponto estratégico para alcançar o desenvolvimento econômico.

É o caso dos EUA, por exemplo, onde o governo convocou a iniciativa privada para qualificar e requalificar seus trabalhadores por meio do Pledge to America’s Workers”. Um aplicativo chamado “Mon Compte Formation”, foi a forma que a França também se comprometeu a integrar formação profissional e educação.

Falando em educação, o setor também está mundialmente envolvido na missão da requalificação, visando o desenvolvimento do profissional do futuro. Em janeiro deste ano o WEF lançou uma plataforma chamada The Reskilling Revolution para contribuírem neste propósito. Parcerias foram firmadas com empresas de tecnologia educacional, Coursera, LinkedIn, Salesforce e PwC são algumas delas.

Aqui no Brasil, infelizmente não temos políticas públicas que endossem esse esforço na requalificação e apoiem o desenvolvimento profissional para que os trabalhadores estejam aptos a este futuro. Mas cabe a cada um assumir essa responsabilidade sobre a sua própria carreira. E por isso você tem que ter em mente que terá que estudar a vida toda.

O que não faltam são ofertar de cursos em instituições diversas que promovem essa capacitação. A educação seja presencial ou online está disponível ao alcance das nossas mãos, algumas até mesmo de forma gratuita.

O importante é sempre ressaltar a pesquisa por lugares que ofereçam conteúdo de qualidade, mas é sim possível fazer isso por si mesmo. O próprio estudo do WEF apontou o aumento de quatro vezes o número de pessoas que procuram aprender online por iniciativa própria.

Ainda falando em educação o conceito de lifelong learning que já falamos por aqui, é algo essencial para acompanhar essas mudanças e se tornar o profissional do futuro.

8 competências para os profissionais do futuro

Vale destacar pontos importantes sobre as 8 competências apresentadas pelo Fórum Econômico Mundial que são listadas abaixo para você analisar, estudar e aplicar em sua carreira. São habilidades profissionais para você ficar de olho e conseguir se adaptar a esta realidade do chamado profissional do futuro.

  1. Pensamento analítico e inovação – acredito que seja autoexplicativo, você precisará ter a capacidade de analisar situações e ser inovador no seu trabalho. O profissional do futuro precisa ter essa habilidade de estar constantemente analisando e enxergando uma nova solução.
  2. Aprendizagem ativa e estratégia de aprendizagem – aqui entra o que falamos ao longo do texto, precisaremos estar constantemente nos reciclando, estudando e qualificando para sermos profissionais competitivos no mercado. Desenvolver estratégias para fazer da educação parte da sua vida, fazendo cursos, participando de eventos, consumindo conteúdo…
  3. Criatividade, originalidade e iniciativas – profissionais que conseguirem atuar atrelando esses três pilares, seguramente sairão a frente. O ponto é que você consiga dentro seu dia a dia ter iniciativa e incorporar a criatividade e originalidade no que lhe for delegado. Ter uma nova perspectiva sobre uma questão.
  4. Design e programação de tecnologia – como a realidade não é mais um filme de ficção, sabemos que tudo que fazemos atualmente e no futuro envolvem tecnologias, como próprio relatório apontou, automação será parte ainda maior do novo mundo profissional. Portanto, saber sobre como fazer será um diferencial muito atrativo.
  5. Pensamento crítico e análise – Apesar de parecer algo simples, essa competência é extremamente importante de ser desenvolvida, mas não é algo tão fácil. No modelo de educação em que vivemos, aceitamos como verdade o que nos é passado e não somos expostos a pensar criticamente sobre determinadas questões. É preciso se questionar para criar respostas e implementá-las no seu trabalho. É o que se espera com essa habilidade.
  6. Solução de problemas complexos – Essa habilidade que necessita de um processo cognitivo, vem sido apontada nos últimos relatório. Isso porque é inegável a quantidade de novos problemas que surgirão com a nova realidade do mundo, e saber identificá-los para criar soluções será um ponto forte.
  7. Liderança e influência social – O conceito de liderança não vem sozinho como habilidade a ser desenvolvida. Agora é importante não só sua capacidade de liderar, conduzir pessoas para um objetivo, mas também influenciar as pessoas por um propósito.
  8. Inteligência emocional – Saber identificar as emoções, trabalhar com elas, entender o momento de cada uma, potencializá-las quando necessário for, isso que prevê esta habilidade, que é peça chave para o profissional do futuro.

O debate sobre essa questão é muito amplo e várias informações relevantes foram trazidas pelo relatório do WEF publicado em 20 de outubro de 2020, caso você queira conferi-lo na íntegra acesse aqui.

E você o que pensa sobre essas novas competências? Elas já são realidade na sua vida? Como tem se adaptado? Conte nos comentários sua experiência.

Um comentário em “As principais competências profissionais que teremos que desenvolver para um futuro próximo”

Deixe seu comentário