O futuro da educação é o ensino híbrido?

Temos que concordar com um fato importante: a tecnologia se tornou grande aliada em nossa rotina em diferentes frentes. Na área da educação ela também já era uma realidade, mas devido a pandemia do coronavírus, a presença foi primordial e aumentada. De uma hora para outra implementamos as ferramentas tecnológicas para nos auxiliar, elas possibilitaram a viabilidade de continuação do processo de aprendizagem.

Apesar de ter sido algo considerado como “novo jeito de aprender”, isso já é visto como tendência há algum tempo, e tem nome e sobrenome: ensino híbrido e hoje vamos conhecer um pouco mais sobre essa forma de ensino.

O que é o ensino híbrido?

Essa metodologia prevê aliar dois métodos de ensino, o presencial e o online. É visto como uma forte tendência, pois é inegável a forma como a tecnologia faz parte das nossas vidas, então por que não a usar para ensinar e aprender?

Usar esse modelo de aprendizagem possibilita extrair o melhor dos dois mundos e impacta não só na maneira em que é passado o conteúdo, mas também como é feita a organização das salas de aula, planejamento pedagógico. É essencial que tanto a parte online, quanto a presencial se complementem e tragam uma experiência única e inovadora para o aluno.

Fazer uso dessas ferramentas tecnológicas não desvalida o conhecimento que temos sobre educação até hoje. Pelo contrário, o ensino híbrido possibilita o uso de recursos didáticos que envolvem novas tecnologias e personalizam o ensino melhorando o desempenho dos alunos.

Quais as vantagens em se adotar o ensino híbrido?

Uma das principais vantagens que essa metodologia traz é a autonomia aos estudantes. Além disso, proporciona flexibilidade do local de estudo e o tempo dedicado a ele. A adaptabilidade da rotina e o uso de tecnologias traz também uma proximidade a tudo que faz parte da realidade do estudante, tornando o ensino mais dinâmico.

Colocar o aluno no centro da coordenação de como será o seu processo de aprendizagem também ajuda a potencializar seu rendimento, uma vez que a escolha é feita por ele, e também é seguida cada um a seu ritmo, coisa que no ensino tradicional não era possível fazer.

Como implementar o ensino híbrido?

A primeira coisa a ser levada em consideração para que seja possível a implementação do ensino híbrido é o planejamento da aula. Por existirem muitas técnicas possíveis para o ensino presencial e online, é preciso que os profissionais envolvidos desenvolvam um melhor caminho para que os alunos consigam alcançar melhores resultados. Vamos algumas técnicas que são possíveis dentro do ensino híbrido

Rotação individual

Nessa forma de ensino os professores criam um roteiro para cada aluno. O principal desafio é fazer com que o estudante passe pelas estações mais importantes que atendam às necessidades de aprendizagem e sanem suas dificuldades.

Rotação de laboratório

Na rotação de laboratório as salas de aula são divididas em dois grupos. Um dos grupos faz as atividades de maneira online e o outro off-line. Isso acontece por um tempo determinado e depois os grupos se invertem. A aplicação deste método é possível por meio da utilização de laboratórios de informática, ciências, salas de aulas.

Rotação por estações

Aqui diferente das anteriores, o espaço de ensino é off-line e dividido em estações com atividades intendentes. O ponto é que uma delas precisa estar ligada a ferramentas da internet para conseguir fazer as tarefas. Os alunos vão rodando entre as estações.

Sala de aula invertida

O comprometimento e disciplina do aluno é essencial para que esse método funcione. O aluno estuda a teoria de uma disciplina em casa, de maneira online e depois organiza discussões, atividades em grupo e outras atividades em ambiente off-line. Como ele já estudou e tem o conhecimento em casa previamente o desempenho pode ser ainda maior na absorção do conhecimento.

Como já debatemos em textos anteriores, essas são só algumas das possibilidades de aplicação do ensino híbrido. Com as tecnologias a disposição uma infinidade de possibilidades se abriu para educação. E você já conhecia o ensino híbrido? O que acha dessa forma de ensinar? Deixe seu comentário.

Lifelong learning: você terá que estudar a vida toda

A expressão em inglês determina algo que ouvimos muito: você terá que estudar sempre. Essa é uma realidade que ninguém poderá fugir. Se você almeja conquistar sucesso e bons resultados com o que faz, o caminho certamente será esse: estudar a vida toda. Vamos falar sobre o conceito de lifelong learning, como fazer isso de maneira efetiva, e a importância desse processo de educação continuada. 

O que é lifelong learning e como isso impacta na minha carreira?

Se o mundo em que vivemos muda constantemente, a nossa adaptabilidade a ele deve andar no mesmo ritmo, certo? É isso que estamos falando sobre o investimento na educação continuada. Neste artigo debatemos a importância sobre o uso da tecnologia no processo de educação, como o processo de aprendizagem vem mudando com o tempo e isso diz respeito ao lifelong learning. 

O lifelong learning prevê que você deve se manter constantemente atualizado, isto é, estudando e lapidando cada dia mais seu potencial. O mercado exige cada vez mais habilidades e competências. Para ser um bom profissional você precisa entender além da sua área específica. O que antes considerávamos fórmula ideal para conquistar boas posições na carreira desejada, já não é mais o suficiente. 

Você deve entender e aplicar o conceito de educação continuada pensando em um projeto a longo prazo, que alcançará resultados no percurso. E mais, entender que a busca do conhecimento não se limita apenas a sala de aula. Para se manter competitivo no mercado, você deve ir além do diploma da graduação.

Como incorporar o lifelong learning na minha vida?

Agora que você já entendeu a importância de manter-se sempre estudando e atualizado, vamos ao como fazer isso. Além da busca de aprendizado constante, é necessário que você encontre conteúdos/instituições que passarão um ensino de qualidade. 

Uma boa dica é procurar por profissionais e centros educacionais reconhecidos no mercado. Opte por uma educação continuada que seja oferecida por alguém que esteja atuante no mercado ou na área acadêmica e traga essa realidade para o seu dia a dia. 

O aprendizado pode vir de cursos de pós-graduação, cursos de extensão, cursos livres, eventos relacionados a sua área, que mostrem não só como as coisas estão sendo feitas, mas quais são as tendências. Participe de eventos que contemplam temas do seu interesse e não só no que você atua agora, mas o que entende que pode ser seu futuro como carreira.

Além disso, busque seguir conteúdos de profissionais renomados da sua área, que te ajudem a manter constantemente atualizados. Aproveite toda oportunidade possível de networking, eventos como esses, reúne muitas pessoas com mesmo objetivo: aprender e levar para casa um diferencial, troque com essas pessoas. Isso sempre renderá bons frutos.

Outra coisa importante de dizer é que o lifelong learning é válido para qualquer idade. Se você está lendo este artigo e pensou, poxa isso não é para mim, está muito enganado. Afinal, você está lendo esse texto justamente em busca de novos meios de aprender. 

Não se limite somente a sua área de atuação, temas novos podem te fazer enxergar inclusive sua carreira de maneira diferente. Uma nova forma de conduzir algo, uma nova possibilidade a ser explorada. Vá além, busque por conhecimentos profissionais e pessoais. 

Principais sites para iniciar sua educação continuada já!

As possibilidades para investir em lifelong learning são muitas, entre elas vários sites reconhecidos que tornam tudo mais prático na hora de aprender. Sem contar que muitos deles oferecem cursos e conteúdos gratuitos, você não tem mais motivos para adiar esta mudança. Listamos alguns sites para você começar já a investir em sua educação. Veja só.

1. Coursera 
A plataforma já é bastante conhecida e traz um diferencial no seu ensino, as parcerias com universidades do mundo todo possibilitam oferecer cursos de qualidade em áreas distintas da educação. Possui cursos baratos e alguns gratuitos. 

2. EDX
Na EDX você tem acesso a mais de 2.500 cursos online de 140 instituições diferentes. Nesta plataforma é possível de cara escolher qual área você deseja estudar. 

3. Khan Academy
Esta já é uma plataforma com cursos com foco em ensino formal como matemática, biologia, história etc. Seus cursos são todos gratuitos, pois a missão da Khan é trazer a educação para todos. Você encontra conteúdos em textos e vídeos. 

4. Udemy 
Em constante crescimento a Udemy oferece cursos em português e com legenda para cursos em outras línguas. Seus preços são acessíveis e você encontra de tudo um pouco em relação a temas.

5. Veduca 
Na Veduca você encontra desde cursos de MBA a cursos livres. Considerada uma plataforma muito completa também oferta cursos em diferentes áreas. O viés é mais acadêmico e os cursos são oferecidos em parceria com grandes universidades como USP, Harvard, MIT. 

Além dessas top 5 plataformas de ensino que listamos, podemos falar de outras bastante populares como Codecademy, Alura, Udacity e tantas outras. Como você pode ver existe um mundo de possiblidades a sua frente. Comece a estudar e mantenha esse hábito de forma contínua em sua vida. 

Gostaria de compartilhar uma experiência sobre como a lifelong learning impactou sua carreira? Caso queira, não deixe de comentar este post.

O impacto da tecnologia educacional

A palavra tecnologia já está tão enraizada em nossas rotinas, que as vezes fica difícil pensar como vivíamos sem certas inovações. E ela vem ganhando cada vez mais espaço também na educação. A chamada tecnologia educacional tem sido incorporada no processo de aprendizagem de diferentes formas, e é sobre o impacto desta nova forma de ensino que vamos falar neste texto. 

É considerado tecnologia educacional a utilização de recursos tecnológicos com objetivo único: ensinar. As ferramentas educacionais tecnológicas permitem muitas vezes que o ensino em si seja potencializado. Com a chegada da pandemia foi possível perceber a importância de inserir a tecnologia na rotina de ensino das mais diversas formas.

O setor da educação como um todo teve que confrontar e lidar com as transformações que foram praticamente impostas, uma vez que foi necessário a adaptação a tecnologias que estão sendo importante aliadas neste momento. Mas o debate é muito mais amplo. Usar a tecnologia educacional não está vinculado apenas ao momento de isolamento que vivemos, esta nova forma de ensinar tem se mostrado muito positiva em termos de resultados. 

Uma pesquisa inédita coordenada pelo movimento Todos Pela Educação intitulada: “O que pensam os professores brasileiros sobre a tecnologia digital em sala de aula” que envolveu 4 mil professores da rede pública, mostrou os desafios enfrentados pelos educadores e apontou que 96% dos entrevistados concordam que o uso da tecnologia ampliam suas habilidades como docente. 

O estudo ainda mostrou outro dado muito interessante: que o uso da tecnologia já é realidade nas salas de aula da rede pública brasileira. Os professores que usam a tecnologia regularmente em suas aulas são representativos 55%. O que significa que mais da metade já incorporou as ferramentas educacionais tecnológicas no processo de ensino.  Aqui você pode conferir uma lista de ferramentas educacionais muito interessantes.

Afinal, por que investir na tecnologia educacional?

 E você deve estar se perguntando os motivos que para se investir nesta nova forma de ensinar, e nós listamos alguns para você refletir o impacto que usar a tecnologia pode trazer para a aprendizagem. 

  1. Amplia o aceso à informação – Usar a tecnologia como sua aliada possibilita uma janela muito maior para pesquisa e obtenção de informações. O que antes era limitado aos livros existentes na biblioteca da escola, hoje rompe barreiras. A internet possibilitou o consumo de conteúdo e experiências vividas no mundo todo. 
  2. Estimula a de troca de experiência – Nada melhor para o ensino do que poder trocar experiências com outros educadores. Se o exemplo que citamos acima sobre romper barreiras vale para busca pela informação, o mesmo acontece com essa troca de experiência. Você como educador pode inclusive promover esta troca também entre os alunos. 
  3. Aproxima a relação professor e aluno – A geração de hoje está exposta a todos estes estímulos tecnológicos. Nada mais certeiro do que se aproximar desta realidade para promover a educação. O aluno percebe que o ensino faz parte do seu dia a dia, e pode estar presente no aplicativo do smartphone, jogos, livros digitais, entre outros. Toda a aproximação e interação com essa realidade, faz o estudo ficar mais interessante e consequentemente melhoram o desempenho dos alunos. 

Como usar a tecnologia educacional

São muitos os exemplos de como tornar presente a tecnologia educacional para o ensino. Você pode usar diversos dispositivos, para te auxiliar durante a aula, no caso de computadores, tablets, mesas educacionais, projetores, câmeras de documentos entre outros.

Implementar softwares em sua rotina de ensino, como aplicativos, jogos digitais, livros digitais, tornando o objeto de estudo mais atrativo e próximo ao aluno, além de promover interatividade, isso é válido para todas as idades. 

Até os pais se beneficiam com o uso destas tecnologias. É possível acompanhar o desenvolvimento do aluno, plano de aulas, anotações, frequência…

O uso de áudios, imagens e vídeos também é considerado uma forma de trabalhar com tecnologia educacional. Essas mídias permitem trazer ao aluno conteúdos mais dinâmicos. E os jogos digitais são uma ferramenta que atraem muito crianças e adolescentes e contribuem na formação de um jeito leve e com diversão. Você pode também explorar ambientes virtuais para aprendizagem, plataformas de vídeos, por exemplo. As possibilidades são infinitas! 

Desafios de implementação

Acredito que nesta altura, você já se convenceu o quão benéfico pode ser introduzir tecnologia no ambiente de ensino. Ainda assim, existem alguns desafios pela frente. Há uma certa relutância por parte de algumas gestões escolares em fazer a ruptura do jeito tradicional de ensinar. Mas você como educador, pode provar que os benefícios vão além do professor e aluno. A implementação digital pode trazer muitos dados, auxiliar no planejamento, integrar setores da instituição e por que não, até reduzir custos.

Além disso, outro grande desafio é aceitar o papel de educador neste novo cenário de mudança. Você não é mais o único a deter o conhecimento, há uma troca muito grande entre aluno e professor e você deve estar disposto a se adaptar a nova realidade. Sem contar que você deve se preparar para lidar com todas essas mudanças, entender as novas tecnologias, suas especificidades e como aplicá-las a sua rotina de ensino. 

Escolha metodologias inovadoras, traga para sala de aula a tecnologia educacional e sinta como essa transformação no ensino pode impactar na sua rotina como professor e no desempenho dos seus alunos. 

Tem alguma experiência para compartilhar sobre a implementação da tecnologia educacional? Deixe seu comentário!